Revistas / 2013 / Redbook (Novembro)

A REDBOOK é uma publicação voltada para o público feminino adulto, com foco em estilo de vida.

Redbook (Nov 2013)

O que fez a estrela de The Voice mudar, por dentro e por fora

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

Christina encontra um lar. OK, não um lar literalmente. Esse está sendo reformado. Mas CHRISTINA AGUILERA está a The Voice, feliz ao lado de Blake Shelton, CeeLo Green e Adam Levine, que claramente adoram ela. E qual roupa ideal para a ocasião? Calças de moletom.

Sentada como uma bonequinha de porcelana na imensa cadeira vermelha de The Voice, Christina Aguilera está pronta para falar aos candidatos. Mas, assim que ela abre a boca, o diretor grita ‘Corta!’. Christina, que está vestindo calças jeans rasgadas e uma blusa branca desabotoada até uma área arriscadamente baixa, sorri. “Alerta vermelho para os peitos?”, ela diz, gargalhando. “De novo?”. Na verdade, é um alerta vermelho de batom nos dentes. Nada bonito para os close-ups. Christina coloca o dedo indicador na boca, gira rapidamente e pressiona os lábios vermelhos. Escutamos alguns murmuros admirados dos homens na plateia. O deus do pop rock Adam Levine, o ídolo country Blake Shelton e o cara do soul CeeLo Green, colegas dela em The Voice, apenas a encaram desacreditados. “O que?”, ela pergunta. “É assim que se tira batom dos dentes!”.

É um momento pequeno, mas um exemplo perfeito de como é a química entre esses quatro músicos-que-viraram-superestrelas-da-TV e que frequentemente se chamam de “família”. Eles aparecem na casa de 11 milhões de pessoas duas noites por semana: três machos-alfa que constantemente se alfinetam, e Christina, a calma e piadista irmã de todos eles. “Eu os conheço tão bem que realmente sinto que eles são meus irmãos”, ela conta. “Dentro de mim mora um garoto de 12 anos de idade que adora sair para brincar com eles”.

Esse grupo incomum de caras era exatamente o tipo de família que Christina precisava depois que a própria família desabou: seis meses antes de a NBC estrear The Voice, Christina anunciou que se divorciaria de Jordan Bratman, com quem ela tem um filho de cinco anos de idade, Max. “Nós dois não fomos anjos”, ela falou sobre a separação. A imagem dela sofreu o impacto, mas foi recuperada quando ela se juntou aos outros animados jurados. A América viu Christina como uma mãe carinhosa e aproximável. Quando ela se tornou alvo dos tabloides por ter ganhado peso durante a 3ª temporada de The Voice, os “irmãos” correram em sua defesa. “As pessoas acham que podem ofender as outras”, Levine disse em um evento para a imprensa. “Ela é um alvo constante disso, e isso me incomoda”.

Apesar de elenco ser próximo e o programa ter uma audiência altíssima, Christina optou por se afastar de The Voice durante seis meses. O que a maioria das pessoas sabe desse período é que ela emagreceu, mas a ideia principal não era essa: “Se eu tiver que escolher entre malhar e passar tempo com meu filho depois de um longo dia, então nem precisa perguntar”, ela diz. “Me sentir bem nas minhas roupas já me basta”. Muito mais importante do que isso, é a viagem que Christina fez a Ruanda como embaixadora do Programa Mundial Contra a Fome, um papel que ela desempenha há três anos.

Eu sentei para conversar com ela algumas semanas depois de gravar The Voice, em um hotel onde ela está hospedada enquanto a casa está em obras. Christina diz que nunca se sentiu tão feliz, o que pode ter a ver com o discreto relacionamento de dois anos que tem com Matthew Rutler, quem conheceu durante as gravações de Burlesque. “Eu estou muito contente agora” é tudo o que ela diz sobre este assunto, mas ela não se segura quando fala sobre o grupo de rapazes com quem ela passa a maior parte da manhã e da noite. Você percebe esse amor?

Por que você decidiu sair de The Voice?

Eu precisava descomprimir, diminuir o ritmo do relógio, e simplesmente respirar. Eu queria descobrir quem eu era fora daquela cadeira vermelha. Nós fizemos três temporadas, eu queria pausar esse compromisso e ter minha vida ao lado do meu filho de volta. Colocar um moletom e tirar toda a maquiagem.

Durante essa pausa, você visitou campos de refugiados e escolas em Ruanda, como porta-voz das marcas Yum! contra a fome mundial. Como essa experiência te afetou?

Todos nós estamos acostumados a ver informeciais e um monte de trabalhos de caridade. Mas é fácil se desconectar dessas situações que não estão presentes na sua mente no seu dia-a-dia. Mas quando você realmente vê todas aquelas pessoas morando embaixo de um pano segurado por pedaços de madeira, sem esperança e tristes, foi como se alguém me sacudisse para essa realidade e não foi nada fácil de assimilar. Mas poder doar algo sem a expectativa de receber algo em troca nos abre para uma forma de vida muito bonita e cheia de paz. É como eu quero viver agora.

O que mais você descobriu neste tempo fora?

Que a vida deve se concentrar nas pessoas que você ama e nas coisas que te fazem feliz. Não deve ser estressante o tempo todo, levar as coisas muito a sério , analisar demais as situações, tentar ter o controle de tudo. Existe tantas formas de se manter ligado a tudo que você acaba gastando seu dia inteiro com isso – é exaustivo. Foi importante para mim fazer minha vida o mais simples possível.

E como você conseguiu isso?

Eu sabia que minha pausa teria só seis meses, então precisar aproveitar cada segundo. Eu encontrei uma casa com o quintal mais tranquilo do mundo, com muito espaço para os cachorros correrem por aí. Eu tenho feito ioga lá. Às vezes, você só encontra paz se se afastar de tudo. E às vezes é mais fácil dizer do que fazer. Eu me sinto mais em contato comigo mesma.

Agora que você está de volta ao programa, o que seus colegas fazem que te leva à loucura?

Eu tenho muito inveja deles. Blake coloca botas, jeans, uma camisa xadrez e tá pronto. Adam se satisfaz com jeans e tênis e Ceelo só usa meias! A calça dele é tão larga que ninguém nem percebe isso. E horas depois em cima de um salto altíssimo, meus pés ficam cheios de bolha e isso não é justo.

Você acaba de lançar uma fragrância chamada Unforgettable. Se você fosse criar colônias para Adam, Blake e CeeLo, como elas seriam?

Blake adora sair para caçar e pescar, então o cheiro seria de serragem e peixe. Se chamaria “Blake” e o frasco teria o formato de uma truta. O CeeLo me dá uma sensação meio jazz, exibido, chamativo, então imagino a fragrância dele com almíscar e o frasco coberto de pele de leopardo. Eu vejo ele dando o nome de Casual Sex (“sexo casual”). Adam é uma pessoa que não para quieto, então o nome seria Rush Rush By Adam Levine (“Rapidinho Rapidinho por Adam Levine”). Eu sei que vai soar estranho, mas eu acho que o cheiro me lembraria um pouquinho do cheiro de poluição – mas eu digo isso da forma mais carinhosa! [risadas].

Você parece ser tão destemida. Existe alguma coisa que te assusta?

Oh, com certeza. As pessoas mais vulneráveis têm um exterior resistente para proteger o medo que sentem por dentro, e é muito difícil para pessoas assim – pessoas como eu – se abrirem. Mas se precaver significa se fechar para o aprendizado. Eu sempre busco encontrar desafios.

Qual é o desafio em ser uma mãe solteira?

Hoje ele não está comigo. É o Dia do Papai. [Jordan e eu] temos guarda conjunta, que acaba sendo o acordo mais pacífico de todos. Max aproveita nós dois. Nós estamos no mesmo time: Time Max.

Essa é uma maneira excelente de encarar isso. O que ele tem feito ultimamente que te tira risadas?

Meu Deus, ele é um carinha muito engraçado. Às vezes eu me esqueço que ele só tem 5 anos. Ele fala o que vem na cabeça, sem censura. Teve um dia que ele não estava a fim de tomar banho, mas a banheira já estava enchendo. Ele me disse: “Eu simplesmente não vou tomar banho agora. Não estou com vontade e só você vai se prejudicar, porque vai gastar água à toa”.

Qual foi a surpresa inesperada mais agradável da maternidade?

Tem aquele barulhinho de passos correndo no corredor e invadindo o meu quarto às 5:45 da manhã. Eu penso, ‘não, ainda não é hora de levantar’, mas eu sei que não vou escutar esse barulho para sempre, e mesmo sendo uma forma mais agressiva de acordar, é importante estar acordada. Esses momentos são inesquecíveis.

Max já começou a frequentar o jardim de infância. Como foi o primeiro dia?

Ele ficou hesitante, um pouco tímido e reservado. Ele parece a mãe dele nessas horas.

Quais outras semelhanças que ele tem com você?

Às vezes eu noto ele reagir a determinadas situações com a mesma cabeça fechada e arrogância que eu faço. A honestidade dele vai ajudá-lo quando ele for adulto. Mas eu também quero ensiná-lo a ser proteger, porque ser honesto com os seus sentimentos vai te fazer mais sensível e com que as pessoas te magoem. Eu tenho que ensiná-lo a criar poços invisíveis ao redor de si.

Você é bem protetora, não é?

Eu sempre fui honesta com a situação de crescer em uma casa dominada pela discórdia e pelo caos. Eu vi minha mãe passar por momentos muitos difíceis com o meu pai, e por isso eu sempre me afasto quando acho que querem me controlar. Me faz fugir rapidamente.

O que você ainda quer instigar em Max?

Eu penso nas coisas que quero contar quando ele tiver mais idade. Acho que ser honesta sobre as minhas histórias e lutas ajudarão ele. Acho que é importante que ele ouça as coisas que já enfrentei, os meus momentos mais difíceis, porque esses são os momentos que forçam você a se enfrentar. Algumas pessoas não conseguem fazer isso. Se assustam. Mas quando você passa a se sentir seguro, o sentimento é o melhor do mundo.

Ei, caras, o que vocês amam em Christina?

Ela já vendeu milhões de álbuns, ganhou 5 Grammys, e é uma estrela pop por quase 15 anos, mas os maiores fãs de Christina são os três homens sentados nas cadeiras ao lado dela.

Adam Levine – Quando nós implicamos com ela, ela responde com a mesma intensidade que nós usamos primeiro. Essa é a grande sacada de Christina – ela não se cala com ninguém. Nós somos todos família.

CeeLo Green – Goldie – é assim que eu a chamo – é muito boa mãe. Você vê bem isso na forma que ela nutre os times dela. Mas quando eu a conheci, tudo o que passou na minha cabeça era ela dançando naquele clipe de Dirry. Caramba!

Blake Shelton – Eu admito que estava um pouco intimidado quando a conheci. Digo, ela é Christina Aguilera. Ninguém tem uma voz como a dela – ela é, sem dúvidas, a melhor das cantoras. Eu simplesmente a adoro.


Voltar para Revistas – 2012 e 2013