Revistas / 2011 / US Weekly (Junho)

A US Weekly é uma revista de fofocas e notícias sobre celebridades

US Weekly - Junho de 2011Christina fala para a US – Como eu batalhei de volta

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

COMO EU BATALHEI DE VOLTA – Depois de um ano devastador, Christina Aguilera começa de novo com um programa de TV de sucesso, um filho feliz e um romance quentíssimo.

Esquecer a letra do hino nacional na frente de 111 milhões de telespectadores no Super Bowl pode ser um assunto delicado para alguns. Não para Christina Aguilera. Enquanto treinava candidatos na competição musical da NBC, The Voice, ela deu o seguinte conselho em um episódio recente: “Não se preocupe com a letra”, ela comentou em risadas. Ter um bom senso de humor sobre seus equívocos ajudou Aguilera a manter a sanidade, especialmente durante o ano passado. “Eu sou humana!”, ela conta a US. “Você tem que saber rir de si mesmo quando cair”.

Certamente, ele teve vários tropeços nos últimos doze meses. Em setembro, a mãe do pequeno Max, de 3 anos de idade, se divorciou depois de 5 anos de casamento com Jordan Bratman, 34 anos. Cinco meses depois – uma semana depois de se tornar motivo de piada no Super Bowl – ela quase caiu do palco do Grammy Awards, deixando o público suspirando. Mas o momento mais vergonhoso perante o público foi no dia 1º de março: O namorado, Matthew Rutler, foi preso por dirigir embriagado, e Aguilera estava tão bêbada que foi detida por intoxicação pública (as acusações contra Rutler foram retiradas, e ela não respondeu por crime nenhum). Soma-se a isso alguns passos profissionais em falso – o álbum Bionic não teve boa performance, e o filme de estreia, Burlesque, foi atacado pela crítica – os tabloides começaram a retratá-la em matérias com títulos como “Fundo do poço!”.

Nada disso podia ser mais distante da verdade. Desde a estreia de The Voice, no dia 26 de abril, com espetaculares 12 milhões de telespectadores – se tornando o sucesso surpresa da temporada – a vencedora do Grammy reabilitou sua imagem, mostrando um lado mais sensível como mentora de candidatos. Enquanto isso, ela e Bratman resolveram o divórcio de forma amigável, e estão cooperando na criação de Max. E ela ainda achou um novo amor, um músico e produtor assistente que conheceu em 2010 no set de Burlesque. Ela fala conosco sobre a montanha-russa do último ano.

Você passou por muita coisa este ano. Como se sente?

O ano passado foi cheio de coisas boas e pontos-altos, misturado com um pouco de caos como a repercussão negativa e o divórcio. Mas eu me olho no espelho e no fim do dia tenho um grande sorriso no rosto. Me sinto excelente por ter 30 anos, poder começar um novo capítulo e achar um novo eu.

Um reality show segue por uma rota diferente. Porque aceitou fazer um?

Eu nunca cheguei a ver um episódio inteiro dos programas de música na televisão, porque as partes que eu via eram tão maldosas para os candidatos. Me pareceu cheio de más-intenções. Eu não trabalho assim. Eu amo o conceito de The Voice: somos todos vocalistas de verdade com experiência em performances na televisão, turnês e Grammys na prateleira. Respeito todo mundo que está no painel comigo.

Como você se relaciona com seus colegas mentores, Adam Levine, Cee Lo Green e Blake Shelton?

Nós vimos quanta química tinhamos desde o primeiro dia. Ninguém chegou de nariz empinado. Nós estávamos todos lá, nos divertindo. Mas eu sou a única garota no meio de um monte de rapazes, é divertido mas às vezes preciso ser a professora. “Ok garotos, comportem-se!”. Eles parecem dentro de um vestiário.

Qual a melhor parte dessa experiência?

Eu me apresento desde os 6 anos de idade. Consegui minha chance aos 17 anos, com Genie In A Bottle, e desde então tem sido uma loucura. Mas depois de um tempo nessa indústria, você começa a se sentir estafado. Então a melhor coisa é quando vejo os olhos do meu time, no início daquela jornada, querendo tanto realizar aquele sonho. Por meio deles, eu estou experimentando a mesma coisa desde o início. Queria um programa assim quando eu estava começando!

Os telespectadores estão vendo um lado mais maternal seu.

Meus amigos mais próximos sabem que eu sou meio mãezona, que ama fazer todo mundo se sentir bem vindo e confortável. Eu tiraria meu casaco para dar a um amigo. É divertido ajudar essas pessoas na jornada, vida e carreira delas.

Foi muito engraçado quando você fez piada com o Super Bowl em um episódio recente.

Acho que é uma lição boa para todo mundo do meu time aprender: no fim do dia, você vai ser criticado por todo passo que der nesta indústria.

Você foi vítima de muito falatório na época do seu divórcio. O quão difícil foi para você?

 Muito, mas se você mantiver um casamento com duas pessoas infelizes, está prestando um desserviço para seu filho. É melhor ter duas casas cheias de amor do que uma cheia de caos. Eu cresci em uma casa cheia de violência doméstica e o melhor presente que recebi foi quando meus pais se divorciaram. A chave para criar uma criança feliz é ser um pai feliz. Crianças são esponjas, absorvem tudo. iloveaguilera.wordpress.com

Você e Jordan estão se dando bem na criação dele?

O foco é Max e companheirismo, e graças a Deus ele pensa da mesma forma que eu. Eu amo como Jordan e eu somos pais unidos enquanto separados, e ambos influenciamos bem a vida dele.

Quais algumas das suas coisas favoritas para se fazer com Max?

Eu sempre dou um beijo de boa noite quando ele deita na cama de carro esportivo que ele tem – ele é obcecado por carros! – e também canto para ele. Atualmente, “Stay Awake”, de Mary Poppins, é nossa canção de ninar favorita. E eu amo músicas de natal, então canto Silent Night também. Antes disso, temos a hora das histórias. Agora, ele tem adorado os livros do Berenstein Bears e If You Give A Mouse A Cookie. Meus momentos favoritos são quando a gente só fica abraçados na cama, embaixo da coberta assistindo um filme. Ele ama todos os clássicos Disney!

Você o leva ao set de The Voice?

Ele já foi algumas vezes. É importante para mim mostrar a ele que mamãe trabalha, porque quero que ele aprenda a importância de trabalhar e ter ética no serviço. Tive que ralar muito para chegar onde estou hoje.

Ele entende que mamãe é famosa?

Ele está aprendendo que precisa dividir a atenção de mamãe com os outros às vezes. Nós vamos juntos para a Disney, e quando as pessoas aparecem para pedir autógrafos, ele fica muito protetor. Se alguém tenta me dar as mãos ou me abraçar, ele fala para não me tocarem.

E Matt se dá bem com Max?

Matt e Max! M&M! Eles são amigões. Se meu filho não se desse bem com ele, eu também não me daria bem com ele. Matt é alguém com quem ele pode se divertir e dar risadas. E no fim das contas, a felicidade do meu filho é mais importante para mim. Mas eu não estou procurando alguém para chegar e completar a imagem perfeita da família atrás de uma cerquinha branca. Eu e meu garoto somos um grande time, e Matt tem sido um grande apoio.

Vocês parecem tão felizes!

Pessoas que me conhecem há 10 anos nos veem juntos e dizem, ‘Não acredito nessa pessoa na minha frente, porque nunca te vi tão leve, tão feliz’. Temos um relacionamento excelente.

Ele chegou a conhecer os holofotes, especialmente depois da prisão. Como ele lidou com a imprensa negativa?

A primeira coisa que disse a ele é que eu não leio essas histórias negativas. É assim que o mundo em que eu vivo funciona. Não posso levar isso muito a sério, tudo tem que ser absorvido como uma pedrinha de sal. Não dê ouvido a eles, porque é só falatório que pode infestar sua mente sem precisar.

Vai gravar um novo álbum em breve?

Sim! Já estou me aventurando de volta ao estúdio para gravar um ótimo álbum, muito íntimo, cru e real. Agradeço a Deus por tudo o que aconteceu, as coisas boas e ruins. Me inspira escrever músicas com essas experiências.

Você parece ter uma perspectiva tão positiva da vida.

Eu provei a mim mesma nesse último ano que, foi uma das estradas mais difíceis da minha vida, e agora estou ainda mais forte por causa disso. Cresci para minha própria independência. E esse programa também é uma nova forma de comunicação para mim, me redescobrir e colocar essa experiência no próximo capítulo da minha vida. Eu realmente acho que o melhor ainda está por vir.

Qual a maior mensagem que você aprendeu com seus erros?

Que qualquer um pode se levantar depois das dificuldades. É realmente um teste para você superar essas coisas e melhorar como pessoa. Virar a página, ignorar os socos, digerir o que aconteceu e continuar andando.

Legenda em uma foto junto aos mentores:

Eles podem ser ultracompetitivos, mas não existe briga entre Christina e Adam Levine. “Acabamos de gravar uma música juntos”, ela conta. “Temos um grande relacionamento. É tudo amor!”.

Voltar para Revistas – 2010 e 2011


Anúncios