Revistas / 2008 / People (Fevereiro)

A People é uma revista sobre a vida de celebridades

Oh baby! A nova mamãe exibe o filho Max: “Estou de ponta-cabeça de amor”

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

“Estou em outro mundo” – De canções de ninar, a álbuns de fotos, até amamentar, Christina Aguilera abraça a maternidade com o filho Max, de um mês de vida (ele curte Led Zeppelin!).

No mundo do Max – A firma de design de interiores “Woodson E Rummerfield’s House of Design” levou 4 meses para completar o quarto de Max. O mural foi inspirado em TODA, um dos artistas favoritos da Christina. Traz “um pouco de cultura pop para o quarto”, diz o designer Patrick Ediger, que trabalhou na mansão de Aguilera. […] Mas o objeto favorito de Aguilera é uma gigantesca lua que foi utilizada na última turnê dela. “A primeira vez que ela viu o quarto, ela ficou em êxtase”, diz Ediger. “Ela adora ficar lá dentro”. E Bratman também gosta, que foi a primeira pessoa a trocar uma fralda de Max. “O instinto paternal aflorou de primeira”, ele diz. “E não foi embora!”.

COM APENAS UM MÊS DE VIDA, Max está agitado. E os pais, a popstar Christina Aguilera e o marido Jordan Bratman, estão jogando um jogo de adivinhação familiar à todo pai e mãe: Cansaço? Fome? Com gases? Os dois mantêem a calma enquanto tentam uma série de truques para satisfazer o bebê. Primeiro, foi o cobertor azul favorito dele. Sem sorte. Então, o balanço que, para o pai, “vale qualquer centavo”. Não dessa vez. Finalmente, Aguilera pega o neném, coloca a cabeça em seus ombros, e canta uma melodia suave.

O pequeno se acalma imediatamente, o corpo pequeno dele relaxa e seus dedos minúsculos alcançam as bochechas da mãe. “Estou morrendo de amor.”, diz a cantora, que substituiu os lábios vermelhos por um rosa clarinho. “Ele mudou a minha vida completamente”.

Para uma superstar com uma imagem supersexy – essa é a mulher que se sujou em um clipe de 2002 – a vida de repente ficou bem doméstica. Apesar de ter 5 Grammy’s e vendido 37 milhões de CDs, Aguilera está desfrutando de uma tranquila licença maternidade, gastando tempo de qualidade com só uma pessoa. “Quando ele está mamando, eu fico sentada, só olhando para ele”, diz a cantora, de 27 anos, que na versão mamãe (maquiagem perfeita e um sweater bem confortável, com leggings e pantufas prateadas) transborda o glamour de Hollywood.

“Fico boquiaberto com esse milagre”, diz Bratman, de 30 anos, nascido no Bronx e executivo musical que casou com Aguilera em uma cerimônia de U$ 2 milhões em Napa Valley, em 2005. “Ele nos aproximou ainda mais. É produto do nosso amor”, diz ele.

Felizmente, o pequeno Max Liron Bratman (combinados, os primeiros nomes traduzem para “nossa maior canção”) é, até agora, um “bebê bem doce”, que herdou o cabelo castanho do pai e a habilidade da mãe em chamar a atenção. “Ele é uma boa combinação de nós dois”, diz Aguilera, “Ele já ri bastante e tem um sorrisinho em meia boca que eu também faço”.  E ele herdou a grande capacidade pulmonar dela? “Ele não chora muito, então não atingiu nenhuma nota alta ainda!”.

Ele também não é nenhum estranho ao showbusiness. Aguilera estava prestes a começar os últimos três meses da turnê mundial “Back to Basics” quando ela descobriu que estava grávida. “Eu não conseguia entender porque a menstruação não chegava”, ela diz rindo. “Eu duvidava que pudesse estar grávida. Mas eu fiz o teste e quando deu positivo, fiz mais um para confirmar. Meu queixo caiu e eu comecei a lacrimejar.”. Bratman, que estava em Nova York, diz: “Quando eu cheguei em casa, tinha uma fila inteira de testes de gravidez!”

Ela completou a turnê na Ásia e Austrália com Bratman do lado, usando um monitor cardiáco enquanto se pendurava em um alvo circense e dançava em cima de um cavalo de carrossel. O primeiro ultrassom deu à Max seu primeiro apelido: “Ele era um pequeno círculo e o médico disse que era o saco vitelino”, diz Aguilera. Depois disso, “durante a gravidez, nós o chamávamos de Vitelino e eu era a mamãe Vitelina. Agora, ele é ‘O Bebê Previamente Chamado de Vitelino'”.

 Durante a gravidez, Aguilera não teve enjoos matinais, mas ganhou “um desejo por doces como eu nunca tive antes”, ela diz. “Balas, pirulitos, tudo que vinha com muito açúcar, eu adorava”. E quando veio a hora de revelar o sexo do bebê, Aguilera não teve dúvidas de queria saber logo, já que ela é o que descreve como “super-planejadora”, que tem álbuns de gravidez cheios de coisas (incluindo todos aqueles testes), ultrasons e notas escritas à mãos. “Eu precisava saber que cores comprar! Eu simplesmente preciso estar preparada o tempo todo”.

E isso inclui o próprio parto. “Eu não queria nenhuma surpresa”, ela diz da decisão em fazer uma cesariana, ao invés do parto normal, programada para a 37ª semana da gravidez. “Eu não queria problema nenhum, já houvi histórias horríveis de mulheres que foram submetidas à cesárias de emergência. A pior parte foi decidir uma data para ele nascer. Eu queria deixar em aberto para o destino, mas ao mesmo tempo eu já estava preparada para dar à luz logo!”.

Quando o momento chegou, “no minuto em que eu ouvi ele chorar, as nossas lágrimas começaram a cair”, diz Aguilera. Bratman, que filmou o parto enquanto tocava a música de Miles Davis, diz: “Nós já vimos o vídeo várias vezes, e toda hora você me ouve dizendo ‘Oh Meu Deus!’. Eu não conseguia parar de falar!”. E quando eles colocaram Max nos braços de Aguilera, “Eu disse, ‘Oi! Oi meu pequeno anjo!'”, ela lembra, “E ele olhou para mim e abriu os olhos pela primeira vez. A conexão que sentimos foi incrível. Não dá para acreditar no amor que você sente na hora”.  Naquela noite, os três se abraçaram juntos pela primeira vez como família, na cama do hospital. “Foi mágico”, diz Aguilera, que começou a amamentar naquela noite. “É incrível: seu corpo é fonte de alimento! Eu fico surpreendida com isso!”.

Cuidar da família é especialmente doce para Aguilera, que já falou abertamente sobre as dificuldades que passou quando criança. Filha de Fausto Aguilera, 58 anos, que hoje é desconhecido para ela, e de Shelly, 47 anos, Aguilera tinha apenas 6 anos quando os pais se divorciaram. “Minha família sempre tinha problemas com dinheiro”, diz a cantora. “É surreal dar à meu bebê esse meu estilo de vida.”. Esse estilo de vida inclui uma babá 24h e um quarto na incrível mansão de estilo mediterrâneo, que era famosa quando abrigava os antigos donos, a família de Ozzy Osbourne, que mirava lá enquanto gravavam o reality show The Osbournes da MTV.

Aguilera planeja voltar ao trabalho nesse mês, gravando um novo CD no estúdio montado no jardim da casa. Malhação é outra prioridade: Assim que ela tiver o ok do médico (mais ou menos na 6ª semana depois do parto), ela volta para a academia. Desde já, no entando, “meu corpo está voltando ao normal, eu até fico pensando se a gravidez realmente aconteceu!”, ela disse. “Eu nunca tive tanto respeito pelo corpo feminino.”.

Desde já, também, Aguilera planeja levar o pequenino em turnês. “Ele vai viajar o mundo bem novinho.”, ela conta. Enquanto isso, Max já está refinando seu gosto musical. “Ontem, ele escolheu Led Zeppelin para tocar”, diz ela. “A maioria da mães tocam Bethoveen, mas nós estamos tocando Metallica, Bob Marley, Rolling Stones.” E Max também já está fazendo o horários dos rockstars. “Igual a mãe dele”, diz Aguilera, “ele é uma coruja!”.

Olhando para o futuro, ela admite querer mais filhos. “Não ainda!”, ela acrescenta. “Mas eu sempre sonhei com uma família grande.”. E antes dela perceber, vão acontecer as primeiras palavras, os primeiros passos, e talvez, até a primeira dança. “Eu mal posso esperar pra ver ele mexer os pezinhos e dançar pela primeira vez!”, ela diz. “Por mais empolgante que tenha sido até agora, é só o começo!”.


Voltar para Revistas – 2008 e 2009