Revistas / 2008 / Glamour (Agosto)

A Glamour é uma revista de estilo e dicas de visual, voltada para o público feminino

Christina – a história real de como essa criança rebelde descobriu o amor

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

CHRISTINA (sem o drama) – Ela raramente sai de casa. As unhas estão delicadamente sem manicure. Ela chama os programas românticos com o marido de “As noites de mamãe e papai”. É possível que uma das  divas mais sexies do mercado tenha se tornado uma boa menina? Você decide.

A ÚLTIMA VEZ que eu entrevistei Christina Aguilera para a Glamour foi em outubro de 2006, quando ela se preparava para a turnê mundial do álbum Back to Basics. Depois que eu assisti aos ensaios cansativos, sentamos no camarim para nossa conversas. Nesse dia, de lábios vermelhos, sapatos altíssimos e unhas impecáveis, ela confessou ser uma viciada em trabalho.

Ela raramente olhava nos meus olhos – uma técnica que, segundo ela me disse, ajuda a colocar os pensamentos em ordem –  e enquanto falava, ela parecia escolher suas palavras com muito cuidado.

Quase 2 anos depois, eu me encontrei com uma Christina bem diferente: A primeira coisa que eu percebi, é que ela olhava diretamente em meus olhos –  uma melhora agradável. Ela estava ansiosa e descontraída para falar sobre sua vida com Max Liron, o filho de 6 meses que Aguilera teve com o marido de quase 3 anos, Jordan Bratman.

A aparência dela também está mais leve, com o cabelo preso e pedidos de desculpas pelas unhas, que não estavam feitas. Mas quando o assunto é a carreira, fica claro que Aguilera tem o foco muito bem moldado e aparado: Ela está malhando por volta de 90 minutos por dia para voltar ao corpo de antes da gravidez, sem falar que também está lançando um novo perfume chamado ‘Inspire’,  promovendo uma linha de joias com Stephen Webster e trabalhando em um novo álbum que deve ser lançado no fim desse ano. (Ah, e a mulher ainda é uma coruja da noite. Nosso encontro foi às 10 da noite em um salão em West Hollywood, porque ela queria passar o dia todo com o bebê Max). Quais outras novidades na vida dessa mulher de 27 anos? Leia a seguir!

Obviamente, você está de volta à luta para o corpo voltar ao normal, então vamos discutir sobre qual é seu plano de exercícios: boxe, correr de costas em uma esteira inclinada, pesos, abdominais – parece brutal.
[Risadas] Eu odeio malhar, eu tenho que forçar a mente para chegar ao final. Eu fico muito chorosa, reclamando que ‘eu não consigo fazer isso’!

Sua treinadora mostra os chicotes quando você fica desse jeito?
Não – Eu não consigo lidar com alguém gritando em cima de mim. Treinamento malvado não é motivador para mim de forma alguma. Eu gosto de me sentir apoiada [durante meus exercícios]. Tudo o que a minha treinadora deve fazer é dizer gentilmente: “eu quero que você faça 200 bicicletas; direto e sem parar.” Aí eu saberei que ela fala sério e eu farei isso. Quando eu comecei eu mal conseguia fazer uma flexão de braço; levantamentos eram difíceis também. Agora consigo fazer cinco de uma vez só.

Você está ótima, Christina. Quanto tempo demorou para você notar as mudanças em seu corpo?
Sendo a perfeccionista que eu sou, meu pensamento logo era: ‘é bom acontecer rápido – eu quero resultados!‘ Minha treinadora vivia dizendo ‘Dê um tempo, você está ótima’. Todo mundo dizia que já dava pra notar a diferença, mas você sabe, a gente se cobra mais que os outros. Mas eu percebi que minha barriga ficou mais reto, com mais músculo.

O que você mais gostou do seu corpo pós-gravidez?
Olha, eu estava muito bem com o bumbum e com os seios! [risadas]. Mas o peso todo estava mesmo na barriga. No fim da minha gravidez, eu me senti bem gorda – eu ganhei cerca de 18 quilos, o que é muito para o meu tamanho. Meus quadris também tiveram uma mudança significativa. E meus pés cresceram, mas graças à Deus eles já voltaram ao normal. Eu ficaria muito deprimida se tivesse que me livrar da minha coleção de sapatos!

Vamos falar sobre o novo álbum. Nós podemos esperar uma reinvenção como a de Back to Basics?
Eu comecei a gravar tem pouco tempo, mas já posso dizer que esse álbum será bem divertido. Terá referencias da Pop Art, arte de Andy Warhol. Será muito divertido e com músicas bem rápidas, e visualmente, será bem cheio de cores, que é como ele irá coincidir com minha nova fragância, Inspire [nas lojas no mês que vem].

Então, Worhol, Pop Art – vai ter um som dos anos 60?
Quero que seja uma surpresa! Mas também terá um toque moderno, que vem do meu amor por Tóquio.

Eu morava lá!
Sério?! Jordan e eu costumamos ir lá nas férias. Tem tanta energia e agitação. Tem milhões de pessoas andando em todos os lugares – é um lugar incrível.

Como as pessoas reagem com você em Tóquio? Eles devem enlouquecer.
Você sabe o que é ótimo? Eu sou uma pessoa muito pequena, então eu apenas coloco um capuz ou um boné e me misturo na multidão.

O que? Isso não em parece ser possível. Ser uma nova mãe influenciou a sua música?
Absolutamente – meu menino suspirou uma uma nova vida dentro de mim. Essa é uma das razões por eu querer um álbum divertido dessa vez. Eu já falei abertamente sobre a violência doméstica que eu passei enquanto crescia.

Agora que você é mãe, é ainda mais difícil de compreender esse abuso?
Sim, até mesmo quando você vê as notícias de que algum bebê foi chocoalhado com mais força. É claro que você tem uma compaixão com todas as crianças, mas quando você tem os seus próprios, você sente isso em um nível mais profundo. Por isso eu me sinto mais motivada a falar mais sobre o assunto; fazer mais trabalhos voluntários; tentar ajudar crianças a achar um lar seguro.

Apesar de sua infância difícil, você se tornou uma pessoa equilibrida. O que você acha quando vê outras pessoas na indústria,  como Amy winehouse, se auto-destruindo?
Eu não gosto de julgar os outros, então não posso comentar sobre o estilo de vida de alguém. No meu caso, minha mãe sempre me fez perceber que meu talento era um presente e uma benção. Mas eu definitivamente cometi erros que nunca irei cometer novamente.

Como o que?
Quando eu tinha 21 anos e fiz Stripped, eu estava muito confusa com relação a algumas situações pessoais que aconteceram no passado. Eu estava saindo, indo para muitas festas – como qualquer pessoa daquela idade faz – e lidei com a dor de algumas formas não tão saudáveis. Mas eu fui capaz de dizer a mim mesma, ‘Ok, espera aí’.

Mas por algum motivo, você não foi capturada pelas câmeras fazendo isso.
Graças a Deus! [risadas].

Você provavelmente não escaparia dessa agora.
Eu acho que não. Foi só com essa onda da reality TV que a nossa cultura obssecada pela vida das celebridades atingiu um nível tão louco. Eu acho que muita gente acaba preso nisso.

Como você lida com o ataque dos paparazzi?
Muitas pessoas saem da própria rotina só para serem fotografadas. Eu faço um esforço enorme para manter minha família fora disso. Outro dia, um paparazzi chegou no meu marido e disse ‘Céus, eu sei que sua casa nova é grande, mas eu tenho tentado por meses tirar uma foto de vocês! Vocês nunca saem de casa!’ E é verdade, eu só saio pela noite, depois que eu passei o dia todo com meu filho; mas durante o dia, eu só fico em casa, passeando com ele no carrinho pelo jardim, aonde nós não seremos vistos.

Ter um filho mudou o seu relacionamento com sua mãe?
Me deu uma compreensão mais profunda do que ela passou. Ela teve uma infância difícil e eu acho que ela queria ter certeza que eu não iria passar pela mesma coisa, mas ainda assim acabou casando com um agressor. Minha mãe acabava dando tanto dela para mim, às vezes até demais, que grande parte do tempo ela esquecia de cuidar dela mesmo. Então, eu estou tendo o cuidado de ter um tempo para mim. Ao invés de me mudar pelo Max, eu apresento à ele as lições que eu tive que aprender durante minha vida.

E como você consegue separar um tempo só seu?
É obvio que eu não fiz nada hoje – não olhe para minhas unhas!

Como sua relação com Jordan mudou após o bebê?
No uniu mais, é uma ligação concreta de que estaremos juntos de uma forma ou outra para o resto de nossa vida. Relacionamentos e casamentos maravilhosos são um grande aprendizado e crescimento constantes. Nós simplesmente somos grandes companheiros.

Então, como vocês conseguem manter as coisas sensuais por esses dias?
Nós garantimos que teremos nossas noites só para mamãe e papai. O nosso filho vem em primeiro lugar, óbvio, mas há certas coisas que você pode fazer: Uma vez que sabemos que ele está em boas mãos, nos saímos de noite e bebemos alguma coisa. E aí nós voltamos para casa, abaixamos as luzes e temos nosso momento juntos – e eu não vou dar mais detalhes que isso!


Voltar para Revistas – 2008 e 2009