Revistas / 2007 / Girlfriend Australia (Fevereiro)

A Girlfriend é uma revista australiana voltada para garotas adolescentes

Não há ninguém como Christina

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

Blonde Ambition. Uma transformação estilosa, uma marido que a apoia, e um álbum cjeio de sucessos fizeram de Christina Aguilera a estrela pop mais legal de todas elas, de novo. Bem vinda de volta, Christina!

Christina Aguilera pode ser minúscula, mas ainda assim é uma diva: grande voz, grande atitude. A estrela de 26 anos, que casou com o produtor Jordan Bratman no ano passado e voltou com uma estelar mudança de estilo no grandioso álbum duplo Back to Basics, ainda está nas alturas com o sucesso do disco, enquanto o novo single, Hurt, continua a dominar as paradas pelo mundo. Aqui ela conversa sobre se abrir completamente no álbum e porque ela ainda não está pronta para largar o batom vermelho.

 Como você se sente ao abrir todas as suas emoções para todo o mundo, por meio da sua música?

É uma posição muito vulnerável, contar sua história em um álbum e dividir situações íntimas com as pessoas. A música funciona como terapia para mim. Desde que eu era pequena, passando pela violência doméstica, funcionava como minha escapatória. Eu costumo passar muito tempo entre o lançamento dos meus álbuns porque quero desaparecer o suficiente para viver a vida e voltar com um ponto de vista sobre o que eu passei. Eu gosto de refletir sobre o que tenho a dizer e o que quero fazer cada vez. Coisas incríveis aconteceram comigo nos últimos anos. Eu sou recém-casada, mas eu nunca fui uma daqueles garotas que sonhava com o casamento. É claro que, nas letras, meu marido me inspirou de várias formas, mas eu não queria escrever um amontoado de músicas de amor. Eu queria fazer um álbum empolgante, com elementos positivos, e ele é parte disso.

Quanto Jordan influenciará na sua música daqui em diante?

Ele tem um ótimo ouvido para música, gosto de ouvir a opinião dele no que faço. Ele é muito equilibrado e forte, então acaba me inspirando. Ele consegue lidar com a loucura na minha vida sem se intimidar. É minha rocha e meu sustento, e também meu melhor amigo, é incrível.

Como você estabelece o limite entre quem você realmente é e quem a artista é?

Bom, eu mudo meu visual e minha personagem o tempo inteiro, mas tiro o batom vermelho antes de ir para cama dormir. O meu coração está sempre comigo.

Quanto você acha que precisa usar sua imagem para vender sua voz?

Eu sou muito criativa e muito visual. Sou muito ligada com a produção dos meus vídeos e gosto que minha imagem reflita quem eu sou na minha música. Gosto de brincar com essa ideia e sou fã de artistas que sempre mudam de imagem, como Madonna. É empolgante e eu gosto de brincar de me produzir também.

E a vaidade?

Eu gosto de me maquiar quando vou ser fotografada. Gosto de sair bem na câmera. Tem um pouco de comportamente ambíguo entre homem e mulher nesse meio, mas se eu não tivesse vontade de fazer toda essa produção de menina, eu não faria. Eu gosto do batom vermelho, saltos altos e de animar uma plateia de cima do palco.

Você sempre se sentiu segura com o seu corpo?

Meu marido sempre esteve do meu lado. Ele estava lá quando gravei Dirrty e estamos completando 4 anos e meio juntos agora. Ele tem orgulho da minha aparência. É uma forma de expressão e um elemento do que eu faço. Não acho que é sobre se sentir segura, mas sim se sentir confortável na minha própria pele. Eu flerto com a câmera e com o público, mas esse é só um elemento da minha persona.

Pode nos falar um pouco do seu visual?

No momento, ele se encaixa à minha música. Gosto do batom vermelho e de ser loira. É como uma forma metódica de atuação, porque gosto de entrar na personagem antes de cantar aquelas músicas – eu as gravei usando o batom vermelho e cercada de fotos de Pearl Bailey e Billie Holiday. Eu idolatro Etta James e recentemente fizemos uma sessão de fotos juntas. Ela me elogiou bastante, e como veio direto da boca dela, eu podia morrer e ir para o céu naquela hora mesmo. Ela me deu uma pulseira de ouro, que eu guardo na minha cabine de gravação para me dar boa sorte. Ela me elogiou por falar o que penso. Existem milhares de nomes para uma mulher que opina, mas ela me disse para nunca perder essa qualidade. Ela disse que estou falando em nome de artistas que nunca tiveram a oportunidade de falar.

Qual o melhor elogio que você já recebeu?

Eu gosto muito quando as pessoas dizem que tenho uma alma antiga. Eu me inspiro em pessoas com almas antigas e histórias incríveis. Etta James disse que eu tenho uma alma antiga como a de Billie Holiday ou Janis Joplin, o que foi um elogio incrível partindo da minha absoluta cantora favorita.

O que acontece com as roupas que você usa depois de gravar seus clipes ou shows? Como as calças vermelhas cortadas, você as usa em casa?

[Risos] Elas estão guardadas em um arquivo, vou ter uma coleção e tanto quando me aposentar!

Você ouve seus CDs antigos e ri das suas roupas?

É divertido olhar para o passado, mesmo sabendo que eu jamais vestiria aquelas roupas hoje. Graças a Deus eu tive coragem sufiente de usá-las um dia!

Você acha que fará um filme algum dia?

Eu espero que sim. Eu não tive tempo de ler muitos roteiros e não quero interpretar nada doce demais ou interpretar a mim mesma, como muitas cantoras fazem. Eu quero atuar de verdade e me tornar minha personagem. Não precisa ser um papel grandioso, só algo que me interesse.


Voltar para Revistas – 2006 e 2007


Anúncios