Revistas \ 2003 \ Rolling Stone (Junho)

A Rolling Stone é uma revista sobre cultura pop

Justin & Christina – Confusão Dupla que prepara a turnê mais sexy do planeta

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

TODO MUNDO ESTÁ COMENTANDO SOBRE JUSTIN E CHRISTINA.Crescer foi fácil para estes antigos astros adolescentes, que continuam firme no topo das paradas enquanto eles vivem seus vinte e poucos anos. A turnê Justified & Stripped, liderada por eles, promete ser uma das maiores do verão, e mesmo que não tenha saído nenhuma faísca entre os dois nos bastidores, eles não se intimidam em fofocar um sobre o outro: Christina acha que ele vai acabar voltando para Britney e Justin afirma que Christina não é tão “guetto” quanto você pensa.

JUSTIN diz que Christina é mais reservada do que você pensa. Ela acha que ele deveria reatar com Britney. Estes e outros contos da turnê mais quente desse verão.

O website oficial da Christina traz para os visitantes uma sessão chamada “Rummor Mill”, presidida pela mãe da Christina, Shelly. É uma ideia inteligente – boatos parecem seguir a Christina tão bem quanto um vestido Versace, então porque Shelly não poderia comentá-los? Ela responde tudo – Christina está namorando David Grohl? Não. Plástica no nariz? Não. Ela não gosta de olhar nos olhos das pessoas? Às vezes.  Justin e ela estão juntos? Só por esse verão, na imensa Justified & Stripped Tour. “O relacionamento deles é profissional, não romântico”, escreve Shelly. Capisce?

O tom hostil de alguns dos boatos é surpreendente. Num mundo pop totalmente plastificado, nós precisamos de Christina Aguilera. Ela ousadamente fala o que lhe vem à mente, traz vida à um tapete vermelho e usa calças rasgadas de cowboy. O que tem aí pra não se gostar?

A nova e morena Aguilera vai dar início a uma turnê com Justin Timberlake esse mês. A ideia partiu dos empresários da dupla. Convenhamos, eles dois são jovens (22 anos), gostosos e comentados, além de terem lançado o melhor disco de suas carreiras.

Aguilera vai cantar vários dos sons de Stripped, que continua a gerar singles – o próximo se chama “Can’t Hold Us Down”. Ela senta conosco para falar de Justin Timberlake, da turnê e da primeira sessão de beijos da vida dela.

Então, porque resolveram fazer a turnê juntos?
Nós dois lançamos nossos CDs na mesma época, nos apresentando ao mundo como novos artistas, de certa forma. O tempo foi bem certo. E eu conheço o Justin desde o Clube do Mickey, quando tínhamos doze e treze anos, então temos tempos uma amizade para ajudar. No fim, tudo contribuiu bem.

Que parte da turnê gerou mais discussões entre vocês dois?
Na verdade, eu não sei como é o show dele e é melhor que fique assim, porque quero que nossos shows se mantenham separados. É um turnê liderada por nós dois, não é como se tivéssemos nos juntados no palco para fazer um show só, passando nossa química para a plateia. Mas eu li as críticas do show dele na Europa e claro, todas elas falam sobre as garotas gritando na plateia – afinal, parte dos fãs de ‘Nsync vão estar lá. E dizem que ele é bem no estilo do Michael Jackson, descendo por um mastro de striptease. Claro que isso vai comandar os gritos das meninas.

Qual a maior noção equivocada que as pessoas têm dele?
Eu nunca ouvi ninguém falar mal dele. Acho que as mulheres são mais faladas, nesse sentido. Eu vejo ele como uma pessoa bem pé no chão, meio bobo e engraçado. Mas ele também tem um lado masculino muito forte. Ele sabe que sempre que entra em algum lugar, as meninas suspiram. Nunca é arrogante, sabe bem como se sair nessas situações e entrar na onda. Eu já fui a algumas boates com Justin e vi várias garotas se aproximarem com um certo interesse só porque ele é quem é. E várias delas são muito boas em fingir que têm a melhor das intenções. Tem uma expressão que eu uso para descrevê-las, mas não sei se eu deveria ser tão ousada a ponto de falar aqui.

Deveria sim!
Eu e minha equipe as chamamos de “chupa-*** por dólares”. É um termo que fala dessas garotas que querem uma chance com tanta vontade que ficam se jogando exageradamente em cima dele. É muito repulsivo, para mim.

Porque todo mundo é tão fascinado com o seu peso? Antes, todos reclamavam que você era magra a ponto de parecer anoréxica. Parece que você nunca ganha.
Eu acho que quando uma mulher é confiante com seu corpo apesar do que a sociedade acha, as pessoas ficam chateadas. Eu não invento desculpas para o que faço, visto ou falo. Parece que todos sempre querem essa perfeita princesa americana. Eu já estou até cansada de ouvir falarem das minhas roupas, porque apesar de eu estar toda coberta enquanto promovia “Beautiful”, nenhuma dessas fotos foram publicadas em jornal nenhum. E morri de rir a primeira vez que eu me vi curvilínea em um determinado vestido. É a primeira vez que eu tenho essas curvas, deve ser meu lado latino tentando aflorar.

Com certeza!
E a imprensa foi muito negativa quanto à isso. Eu pensava, que tipo de imagem vocês querem passar para as pessoas mais jovens? Me deixa viver minha vida. E eu gosto dessas curvas. Todos nós viemos em formas e tamanhos diferentes, e a mídia deveria dizer algo legal de alguém que desafia essa pré-noção de celebridade. Mas apesar disso, eu vou continuar fazendo o que me der vontade.

Quem você acha que é o par ideal para Justin?
Britney. Ele e Britney faziam um casal muito legal. Eu conheci os dois na mesma época, e desde então eles já tinham paixõoezinhas um pelo outro. A Britney também conhece ele há tanto tempo – antes dele ser Justin Timberlake, a estrela, quando ele era só Justin, mais um menino do clube do Mickey. Eu não sei, eu acho que eles vão reatar. Eu sei que eles continuam se falando, então estão bem. Eu não acho que acabou.

Me fala da melhor viagem de férias que você já fez.
Eu nunca fiz uma viagem dessas. Nunca mesmo. O começo da minha infância foi só se mudando para todos os lugares, para mamãe ficar junto do meu pai ou indo para a casa da vovó. Eu acho que a melhor foi lá na casa de minha avó em Pennsylvania. Lá era legal, com grilos e tudo mais. Mas eu nunca fiz uma viagem de verão, mesmo. Ou um daqueles acampamentos. Essas coisas demandam dinheiro, sabe.

Qual o melhor CD para ouvir enquanto dirige em uma noite no verão?
Led Zeppelin. Eu amo Physical Grafitti. Eu amo Led Zeppelin. Houses of the Holy. É um CD que você pode simplesmente ligar e cantar alto, adoidado. Outro que é muito bom de cantar sem se preocupar é Live Through This, do Hole.

Qual a melhor canção pop?
“Kiss”, do Prince. Mais atual, eu provavelmente diria “My Name Is”, do Eminem. É contagiante. E eu tenho que dizer “Beat It”, “Don’t Stop Till You Get Enought” e “P.Y.T”, do Michael Jackson. Minha favorita de todas as épocas é “Imagine”, de John Lennon.

Você se lembra da primeira sessão de beijos que você teve?
Eu acho que foi bem cedo. Eu não sabia direito o que tava fazendo, sabe quando você está brincando de casinha? Eu morei no Japão dos três aos seis anos de idade e naquela época, quando eu tinha uns cinco anos, eu entrei bem na brincadeira. Minha mãe pegou a gente bem na varanda lá de casa, eu e um garoto que morava umas duas casas depois da nossa. Foi bem inocente, bonitinho, bastante jovial e engraçado mesmo. Mas não foi só um selinho não. Foi literalmente uma sessão de beijos. Eu não sei se isso vai queimar meu filme, mas foi o que aconteceu!


Voltar para Revistas – 2002 e 2003


Anúncios