Revistas \ 2001 \ Teen People (Edição especial de inverno)

A Teen People era uma versão da revista de celebridades People voltada para adolescentes

Christina Aguilera – o ano incrível, o novo amor e a verdade sobre Britney, Eminem, Fred Durst e mais

Traduzido por http://www.iloveaguilera.wordpress.com
Não copie, direcione o link

LOIRA PLATINADA – O ano de 2000 foi um sonho que se tornou realidade para Christina Aguilera. Enquanto ela se prepara para dar o próximo passo, a super estrela abre o jogo sobre Fred Durst, Britney Spears e este ano memorável.

CHRISTINA AGUILERA tem uma forma de se destacar na multidão – até mesmo quando ela está sentada. Pegue hoje como exemplo, na sessão de fotos da capa da Teen People. Ela está sentada na cadeira de maquiagem, recebendo uma massagem nos pés, feita pela assistente pessoal. Tomando um gole no gigante copo de café que ela segura, ela se lembra dos eventos que precederam a entrada dela na cena musical do pop platina. Mas um evento em particular traz um sorriso especial ao rosto dela – o primeiro que ela lembra desde que esta entrevista começou – e a cansada diva em treinamento ganha vida enquanto ela conta os acontecimentos de outra noite em que ela se destacou na multidão.

Foi no verão de 1999, e a então cantora-em-preparação estava anonimamente comprando um CD na Virgin Mega Store da Times Square, Nova York, quando percebeu que estava no meio de um momento tipicamente rock’n’roll.

“Tinha um cara andando com um boné Kangol na cabeça, e eu não sabia quem era ele nem porque tinha tanta comoção em volta. Vários fãs gritando”, conta Christina. “Então eu descobri que era o vocalista do Limp Bizkit, Fred Durst. Um amigo meu havia me apresentado à música deles e eu tinha gostado. Então eu fui pedir um autógrafo, mas ele se virou para despistar todo mundo. Quando isso aconteceu, ele notou algo na jaqueta que eu usava e disse: ‘Essa jaqueta é muito legal'”. Ela pausa e comenta: “Foi engraçado como ele me conheceu antes de eu me tornar famosa”.

GAROTA EM ASCENSÃO

Atualmente, Christina cria a própria comoção, e atrai celebridades que, como Fred, se tornaram “algo como bons amigos”. Na primavera passada, eles dois apareceram juntos na letra de The Real Slim Shady, single do Eminem. Como forma de responder às acusações proibida para menores em Shady, que envolviam ela, Durst e Carson Daily, do TRL da MTV, Christina planejou uma surpresa no MTV Video Music Awards de setembro: Ela convidou Fred Durst para unir-se a ela no palco em uma performance do hit #1 Come On Over Baby (All I Want Is You).

“Nós achamos que seria divertido por conta da controvérsia imensa causada por aquelas mentiras que Eminem insinuou na música sobre Carson, Fred e eu”. Ela conta. “Eu pensei: ‘Quer saber? Vou fazer isso pelas risadas!”.

O sucesso dela, por outro lado, não é nenhuma piada. Nos últimos 16 meses, a pequena garota viu seu álbum de estreia, Christina Aguilera, vender 7 milhões de cópias, lançar 4 singles no Top 10 da Billboard (três deles foram #1!) e ganhar o prestigioso Grammy de Artista Revelação – um prêmio que ela sonhou em conseguir desde que viu Mariah Carey ganhar o dela há quase uma década. Com dois ambiciosos projetos que seguiram – um álbum em espanhol, Mi Reflejo, e um CD de Natal, My Kind of Christmas, que traz trabalhos com veteranos do blues como o experiente Dr. John e o ex-braço direito do Beatles, Billy Preston – Christina, que completa 20 anos no dia 18 de dezembro, já é  uma das provavelmente poucas estrelas pop que se manterão forte no próximo milênio.

“Aqui você tem essa menina de 19 anos que está trabalhando mais do que qualquer outra pessoa, que tem o stress, as demandas e os problemas de uma estrela”, diz Ron Fair, vice-presidente sênior de gravação do selo RCA Records. “Ao mesmo tempo, ela está cantando todas estas notas musicais complexas, que só podem ser reproduzidas por alguém com um talento musical e intelecto superbos”.

O nascimento da Christina como um talento musical adulto aconteceu no American Music Awards do último mês de Janeiro, quando ela apresentou à plateia um poderoso medley dos sucessos What A Girl Wants e I Turn To You. “Foi uma oportunidade boa, mostrar para as pessoas o que você é capaz de fazer ao vivo”, ela diz. “Foi um bom momento”.

Tão bom que abriu caminho para o Grammy em fevereiro. Apesar dela já ter reconhecimento da crítica pelo emocionante estilo vocal e pela escolha de um sólido material, Christinha tinha uma competição difícil com pesos-pesados como Macy Gray e Britney Spears. Ela foi pega em tamanha surpresa que sequer tinha um discurso preparado. “Eu estava pronta para aplaudir Macy Gray e colocar minha cara de ‘Estou-feliz-muito-embora-seja-uma-perdedora’,” ela se lembra, “que quando meu nome foi chamado eu não acreditei. Meu empresário estava sentado do meu lado e teve que praticamente me empurrar da cadeira’. Eu estava emocionada, feliz e empolgada. Tudo de uma só vez”.

TRABALHANDO HORA EXTRA

É claro, Grammy’s não aparecem sem um esforço tremendo – sem mencionar talento – e durante o ano de 2000, esta nativa de Staten Island, Nova York, se manteve na forte ética profissional que ela desenvolveu em Wexford, quando sua mãe, Shelly Kearns, se separou do pai Equatoriano de Christina, Fausto Aguilera, um sargento do exército, quando ela tinha 8 anos de idade (Shelly se casou novamente, com Jim Kearns, um paramédico, em 1992).

O Grammy solidificou Christina como uma superestrela e a levou à trabalhos ainda maiores: o VH-1’s Men Strike Back (como única mulher, ao lado dos Backstreet Boys, Sting e Henrique Iglesias, com quem ela dividiu o palco no meio-tempo do Superbowl, em janeiro); o MTV’s Video Music Awards; o Grammy latino (onde ela cantou em espanhol); e um próprio especial no horário nobre da ABC (que foi ao ar no dia 3 de dezembro). Em adição, ela também comandou a primeira turnê americana – com Destiny’s Chil como convidadas especiais – durante o verão.

Com uma agenda tumultuada, algo estava presentes a ceder, e eventualmente, isso aconteceu. Durante um período de 9 dias em setembro, Christina cancelou três shows. O motivo oficial: problemas nas cordas vocais. Mais concertos foram cancelados em outubro, em razão de uma gripe.

Mais drama surgiu quando Christina entrou com uma ação  judicial contra o antigo empresário, Steve Kurtz, acusando-o de exercer “influência imprópria e abusiva”, tanto na vida profissional quanto pessoal, e por ter levado mais do que os 20% da “receita comissionada” dela, previamente acordados.

“É óbvio que estou decepcionado e enojado. Eu coloquei toda a minha carreira em favor da Christina”, diz Kurtz à Teen People, um advogado que começou a trabalhar com ela em 1997, quando ela tinha 16 anos. “Esse processo é só uma desculpa para escapar do contrato sem pagar a comissão. O que é mais chato é que se pessoas como a Christina continuarem fazendo isso com pessoas como eu, não vai existir mais pessoas como a Christina”. Kurtz respondeu com uma outra ação, alegando quebra de contrato. (A cantora não comentou sobre nenhum dos processos).

UM GAROTO POR PERTO

Na sessão de fotos da Teen People – que aconteceu na tarde de domingo após a noite do concerto cancelado em Boston e antes do concerto a ser cancelado em Virginia Beach – a cansada cantora não se anima até o começo da noite, quando um dos dançarinos chega. Jorge Santos também é namorado dela, e o laço entre eles é aparente entre os takes, quando ela fica mandando sorrisos femininos a ele entre as poses.

Mais tarde, Jorge diz que a percepção que a mídia tem da Christina é distorcida e equivocada. “As pessoas acham que ela é malvada, mas ela não é. Ela cuida do próprio negócio e só conseguiu chegar tão longe sendo quem ela é porque é assim que ela tem que ser. Você tem que completar o trabalho, e completar da maneira correta. Se você tem que ser rigoroso, tem que ser rigoroso”. Quando o serviço acaba, ele diz, ela é igual à qualquer outra garota na idade dela. “Ela não é mais do que uma garota de 19 anos que está tentando se divertir na vida. Ela passa pelas mesmas coisas, exceto que ela tem que passar por tudo isso na frente das câmeras de TV”.

Ela vai continuar na frente do público até o próximo Natal, quando ela vai tirar férias de um mês para começar a trabalhar no próximo álbum. Até lá, vamos ter muitas músicas dela para matar o tempo. O álbum natalino foi lançado em outubro, e o álbum em espanhol, que traz 6 novas músicas e cinco regravações do primeiro álbum, estreou em setembro com vendas altas. Christina, que não é fluente em espanhol, diz que ela está especialmente orgulhosa do álbum porque ela sempre sonhou com uma carreira bilingue.

“Foi para que eu retornasse às minhas raízes e fizesse meu avós paternos orgulhosos de mim, e eles estão”. O pai dela também. “Ele não tinha como estar mais contente por eu estar explorando minhas raízes latinas”, diz Christina, que começou a criar novos laços com ele após anos de distância. “Ele mal pode esperar até eu aperfeiçoar meu espanhol, mas já está falando: ‘Quando você canta em espanhol, parece tão fluente'”.

AMIGAS, NÃO INIMIGAS

Enquanto Christina continuando conquistando o comércio e a crítica, ela ainda é bombardeanda com os boatos de rivalidade entre a colega superstar e ex-companheira de Clube do Mickey, Britney Spears. Até mesmo a aparição de mãos dadas no Video Music Awards para apresentar Whitney Houston foi reconhecida por muitos como um golpe publicitário e não como uma demonstração genuína de afeto.

Christina insiste que ela e Britney estão em bons termos e critica uma publicação em particular que fez uma coluna chamada ‘Britney versus Christina’ em uma edição. “Eles acabaram com Britney”, ela diz. “Falaram, ‘um Grammy para ela, nenhum para ela’, ‘Isto para ela, aquilo para ela’, ‘Este é o ponto forte desta, este é o ponto fraco dela’. É tão triste quando colocam duas garotas de frente em comparações como esta. Outro dia, eu não aguentei e chorei com a maldade daquele artigo, que só sabia falar, ‘Oh, Britney é a Madonna sem o cérebro'”. É muito cruel, podiam ficar calados”.

É claro que a Britney não é o único alvo. A revista People (que, como a Teen People, é propriedade da Time Warner) nomeou Britney como uma das dez mais bem vestidas estrelas do ano, enquanto Christina ficou nas mais mal vestidas ao lado Lil’ Kim e Jennifer Love Hewitt. Quando mencionamos isso, a cantora, que ainda não sabia desta notícia, sabe imediatamente o que esperar.

“Ok, eles disseram que eu sou a mais mal vestida?”. Bem, sim. “Tudo o que eu tenho a dizer é que eu já vi estas revistas antes e sei o que eles escolhem como melhores vestidos, e são só as mais chatas e não-experimentais roupas que estão por aí. São muito conservativos e eu não sou assim”.

Então, não espere uma desculpa por todas as roupas sensuais e revelativas que ela essa. “Alguns tem problemas com o fato de eu mostrar o umbigo, outros gostam. Eu não tenho como agradar todo mundo”, ela conta. “Se eu tivesse que viver o papel de modelo perfeita, eu ainda assim fracassaria porque todo mundo tem uma ideia diferente do que isto significa”.

Ela vai manter este espírito rebelde quando chegar o momento de gravar o próximo álbum, a ser lançado no final de 2001. “Eu tive muitas ideias, muitas coisas que eu queria fazer”, ela conta do primeiro disco. “Mas a gravadora queria manter ele mais pop do que eu queria que ele fosse, mais certinho…”.

Também irá refletir mais no crescimento e gosto musical, que atualmente pende mais para o lado durão da rapper Eve (com quem ela admite esperar a oportunidade por um dueto) e da cantora e poeta R&B Jill Scott.

“Vou deixar outras influências marcarem minhas músicas, algo como uma garota pop com mais ousadia”, promete Christina, que cantou uma versão estonteante de At Last, clássico da Etta James, em turnê neste ano. “Acho que é bom para as pessoas ouvirem algo além de um refrão grudendo e uma melodia pop. Têm lados meus que estão esperando para sair há um tempo. Então vai ser divertido aonde isso vai parar”.


Voltar para Revistas – 1999 a 2001