Forbes – O papel de Christina na trajetória de uma banda independente

Christina no estúdio com A Great Big World

Parece que a ajuda de Christina a novos artistas não tem sido percebido pelo público só em The Voice. Em uma matéria da Forbes, a publicação traçou a trajetória que levou A Great Big World do anonimato ao topo das vendas de singles, destacando que o papel de Christina foi imensurável. Abaixo, seguem trechos da matéria:

Como uma pequena banda independente alcançou a fama em dois meses. 

O quão rápido tudo pode acontecer. Há alguns meses, a maior parte das pessoas nunca haviam escutado falar do A Great Big World, uma dupla pop indie que recentemente se uniu a Christina Aguilera na emocionante faixa #1 “Say Something”.  (…)

As coisas começaram a formar uma bola de neve, e bem rápido. Axel e Vaccarino anunciaram o nome da banda no dia em que [um episódio de Glee que tocou uma música deles] foi ao ar. Então, as gravadoras começaram a prestar atenção neles, e em maio, assinaram com o mago da música L.A Reid para um contrato na Black Magnetic/Epic Records. Alguns meses depois, um coreógrafo do programa So You Think You Can Dance quis usar outra faixa deles – Say Something – para uma performance. Foi assim que a música chegou aos ouvidos de Christina, que imediatamente entrou em contato. Os rapazes ficaram espantados. “Nós pensamos, hmm, ela tem certeza disso?”, Vaccarino brinca.

Não foi nenhuma surpresa que colaborar com Christina Aguilera trouxe uma atenção significativa para a dupla.

Em questão de semanas, eles regravaram a música em dueto com a estrela pop, e a cantaram em The Voice. O apoio de Aguilera, que tem uma multidão de fãs online – cerca de 17 milhões no Facebook e 11 milhões no Twitter – foi inestimável, e a performance atraiu os olhares do público. “Decolou mesmo depois do The Voice. Tudo isso nos últimos dois meses”.

Anúncios

21 comentários sobre “Forbes – O papel de Christina na trajetória de uma banda independente

  1. Aline Aguilera disse:

    Sem dúvida Christina foi uma peça fundamental no sucesso de Say Something. Foi ela que ajudou os meninos a decolarem nessa indústria e o melhor de tudo foi que ela fez isso de uma maneira muito humilde.
    Eles merecem todo o sucesso que estão recebendo.

    Curtir

  2. leo disse:

    Agora só falta a Aguilera lançar um álbum é bombar assim como ela faz em todas as parcerias dela!! Só espero

    Curtir

  3. rodrigo disse:

    Boa noticia!!!!!!!!! Finalmente Say Something entrou na programaçao da Jovem Pan Fm. Acabei de ouvir.

    Curtir

  4. Henrique Helforth (@helforth) disse:

    As teorias são muitas, assim como as expectativas em torno de um novo álbum #1. O que aconteceu com Bionic, foi o mesmo de Lotus, Artpop, e Britney Jean: não são bons, comercialmente.

    Gosto muito de Rihanna, mas por trás de todos os charts e números #1, existe uma fatalidade: basicamente, a mesma técnica. Parecem ser músicas de um mesmo álbum.

    Um novo álbum de Xtina virá. Será mais uma obra prima, como Bionic, já que ela está super inspirada, como vem comentando. Mas assim como não conseguimos explicar o sucesso comercial de Say Something, não conseguiremos explicar um sucesso ou fracasso de vendas.

    E é engraçado que para os fãs de rock, charts não fazem diferença. Eles nem olham. Apenas compram e consomem cada uma das letras escritas. São considerados os fãs mais fiéis. É o que devemos fazer.

    Curtir

    • Iago disse:

      Puxa, é exatamente isso o que eu penso. Talvez o peso de precisar vender, de ser uma “rainha”, de estar no topo das paradas musicais, prejudique – e muito – a qualidade das canções de certos artistas.

      Sobre os fãs de rock: seu comentário foi certeiro. Tem uma amiga minha que adora umas bandas clássicas e não faz ideia da colocação de certas músicas na Billboard. Ela simplesmente ama os caras e vai nos shows deles.

      Curtir

  5. marcio disse:

    Acontece que isso é cultural – MUSICA POP – CULTURA POP – CULTURA POPULAR – DE GRANDE CONSUMO DAS GRANDES MASSAS.

    A música pop, por sua origem, tem esse apelo popular – ser algo popular e não vender, não chegar ao público é quase que uma ideia antagônica.

    Eu acho que isso faz parte da transformação da música pop.
    São períodos.
    Beyoncé, pra se manter fora desse ciclo, teve que produzir um musical pra poder vender suas músicas. E vejam que estas coisas atacam mais as mulheres da indústria – os homens são pouco cobrados por estes fatores.

    Imagino que depois de 2 albums com vendagem baixa, a Christina não procure mais ser #1 – ela está afim de se apaixonar pela música e deu.

    Curtir

  6. Rafael disse:

    Ouvir Say Something sem Xtina não e a mesma coisa algem viu ontem no SBT os caras A Great Big World cantando no desfile da Victoria Secrets?…
    Não gostei muito , fico tipo tao horrivel como Moves Like Jagger com Adam Levine fazendo a parte da Xtina…

    Curtir

  7. Robson disse:

    Say Something esta no top 20 do mediabase #18 A GREAT BIG WORLD – Say Something w/C. Aguilera: 63.032 (+ 2.124) ▲

    Curtir

  8. Geff disse:

    Todos nós já sabiamos disso mas tem hater q ainda nega a IMENSA importancia q Xtina teve na carreira desses meninos, entao eh bom q uma revista conceituadissima como a Forbes fale a respeito. Eu teria vergonha, no lugar deles, de falar algumas merdas q vi por ai. Eh de uma ignorancia tamanha!

    Curtir

Os comentários estão desativados.