Biografia Completa – Capítulo 12

Você está aqui

| Pessoal | Biografia | Capítulo 12 - O Maior dos Sucessos |
Lembre-se! Esta biografia não está disponível para cópia!

Capítulo 12 – O Maior dos Sucessos

A edição de janeiro de 2008 da revista Marie Claire trouxe a tradicional sessão da celebridade grávida e nua. Mas a bela barriga de Christina na época em que as fotos foram tiradas em nada se assemelhava com os nove meses de gravidez, prontos a terminarem. No dia 12/01/2008, nascia Max Liron Bratman, cujo nome espanhol (Max) e hebraico (Liron) significa “Minha Maior Canção”. No mesmo fim de semana, Max já ganhava uma amiguinha: Nicole Richie, amiga de Christina que havia ficado noiva na mesma época que ela, recebia Harlow Winter, sua primeira filha com o novo namorado Joel Madden.  Para celebrar a chegada de Max, o site oficial fez uma imediata atualização com o anúncio do nascimento, acompanhado de uma carta de Christina aos fãs e do vídeo-clipe de “Save Me From Myself”, canção do álbum “Back To Basics” dedicada à Jordan. O vídeo, que trazia cenas pessoais do casamento, foi gravado para Bratman e liberado de surpresa aos fãs. A carta dizia:

Queridos fãs, hoje é um dia muito especial e cheio de felicidade para Jordan e eu, enquanto recebemos no mundo nosso primeiro filho. Em honra ao nosso amor e a nossa crescente família, eu montei este clipe especial de “Save Me From Myself”, do meu álbum “Back To Basics”. O vídeo é muito especial para mim, já que inclui cenas do nosso vídeo pessoal de casamento! Ofereço a vocês como uma maneira de agradecer pelo seu amor e apoio imortais. Não é pequena a participação de vocês nesta minha vida abençoada e maravilhosa! Por favor, façam o download e se divirtam… Com todo meu amor, Christina”.

O nascimento de Max foi seguido de um período de reclusão para Christina. Com uma nova casa com grande e privada área externa, ela pôde se dedicar a cuidar do pequeno filho. A primeira aparição pública veio pouco menos de um mês depois, com o lançamento do DVD “Back To Basics: Live And Down Under“, filmado durante a turnê na Austrália, quando já estava grávida. Apesar de ter sido lançado exclusivamente nas lojas Best Buy, o DVD  vendeu 19 mil cópias apenas na primeira semana nos Estados Unidos e foi o mais vendido do país.

Christina seguiu a semana em alguns eventos e programas de televisão para divulgar o DVD e falar de Max, revelando que estava amamentando – o que era evidente – e emagrecendo com a tarefa. Ela também voltava a sair nas capas de revistas de “Mais Belas”, comentando em como a gravidez mudou sua forma de ver o próprio corpo.

Nessa época, a família terminava a mudança de Hollywood Hills para a nova mansão. Enquanto a casa continuava a ser decorada, Max recebia total atenção para seu quarto: até mesmo a lua usada na turnê “Back To Basics”, durante o número “Hurt”, compôs o visual do cômodo. Não foi o único apetrecho da turnê a ser aproveitado por Christina em sua casa: o cavalo que aparecia na música “Dirrty” recebeu um lugar na sala de jantar.

1. No lançamento do DVD; 2. Com Nicole Richie em jantar; 3. No programa de Ellen DeGeneres

iloveaguilera.wordpress.com 
Max foi apresentado ao público com apenas um mês de vida, na capa da revista People, recheada de fotos da família com os cachorros e o pequeno recém-nascido. A capa custou para a revista entre US$ 1.5 e 2 milhões, um dos maiores preços já pagos a uma celebridade a esse título.

Apesar das fofocas de tabloides dizerem que a revista havia encalhado nas bancas, as vendas superaram as estimativas da publicação. Originalmente previstas em 1.3 milhões de cópias, os números somaram 1.45 milhões de unidades vendidas, ajudando no aumento de vendas da revista em 5% em relação ao ano anterior.

Jordan foi o primeiro a trocar a fralda de Max, enquanto Christina admitiu ficar admirando o pequeno, sem palavras, enquanto ele mamava. A rotina de uma celebridade, no entanto, não é como a de todas as outras mães, e assim que o período de cicatrização da cesária foi completado – seis semanas depois do nascimento de Max – Christina voltou à malhação. Copiei do iloveaguilera.wordpress.

Jordan e ela também voltaram ao ritmo de casal, sempre saindo juntos para jantares e festas depois que Max ia dormir. As saídas renderam alguma imprensa negativa, mas Christina não se importava: após passar o dia e noite cuidando do incansável Max, achava que merecia uma saída romântica com o marido.

Na agenda profissional, a campanha que produziu ao lado do joalheiro e amigo Stephen Webster foi lançada, tornando Christina, mais uma vez, rosto de uma campanha comercial de alto escalão. Além de ter desenhado o anel de casamento ao lado de Jordan, Webster também preparou o primeiro presente de dia das mães recebido por Christina – um cordão de pingente cruzado com o nome do filho, decorado com rubi, que, ao abrir, revelava uma foto do pequeno. O presente também foi desenhado de acordo com os pedidos de Jordan, em segredo.

1. Família celebra primeiras semanas de Max; 2. Pingente de dia das mães; 3. Saindo com Jordan

iloveaguilera.wordpress.com
Em maio, Christina já revelava que a maternidade a inspirava para gravar um novo álbum. O conceito seria o mesmo que havia planejado antes de sair em turnê para “Back To Basics”: um som futurístico, mesclado com muitas cores e inspirado nas luzes e movimentos de Tóquio, um de seus locais favoritos. A ideia já estava se refletindo no figurino de Christina, montado com batom rosa forte e muitas cores e estampas nas roupas.

Os planos de lançar o álbum no ano seguinte também se formavam, e Christina tinha a nova facilidade de gravar em casa enquanto cuidava de Max. Linda Perry foi convidada para testar os primeiros sons do novo trabalho, e começaram, juntas, a criar a sonoridade que as inspirariam.

Com a proximidade das eleições presidenciais americanas, a campanha de conscientização da Rock The Vote foi gravada e passava a rodar na televisão americana. Engajada com o assunto, assim como estava em 2004, Christina optou gravar um comercial com Max enrolado em uma bandeira enquanto ela cantava “America The Beautiful” em tons de ninar. Questionada sobre a decisão de expor Max daquela maneira, ela comentou que ele sempre estaria submetido aos olhos da imprensa, de uma forma ou de outra. Para minimizar esse impacto, decidiu colocá-lo sob os holofotes de uma forma que ela pudesse controlar. A campanha incluiu aparições promocionais, incluindo um bate-papo na CNN com Larry King.

Em agosto, a cantora e compositora australiana Sia revelou ter recebido um convite para participar do quarto álbum de estúdio de Christina. As sessões de gravação teriam início em setembro do mesmo ano. Essa marcaria a primeira vez que as duas trabalhavam juntas, muito embora Sia já tivesse tentado entrar em contato com Christina antes.

Paralelamente, Linda Perry estava empolgada com o conceito porque nunca havia tentado fazer música eletrônica antes. Perry pegou teclados antigos para testar os sons e apresentou 10 instrumentais que havia criado após algumas sessões no estúdio.

Esses instrumentais, no entanto, precisaram passar por uma seleção mais rígida, em razão de uma mudança de planos quanto ao álbum: Christina comunicou a Linda que precisava lançar uma coletânea de maiores sucessos ainda em 2008, e apenas duas novas faixas fariam parte do trabalho, tirando o quarto álbum de estúdio, com previsão para lançamento em 2009, da lista de prioridades.

Christina escolheu as músicas que posteriormente seriam chamadas de “Dynamite” e “Keeps Gettin’ Better” – essa última, a que Linda considerava a mais fraca dos instrumentais prontos. Quando sentaram para compor a faixa, Perry mais uma vez revelou insatisfação com o tema e letra que Christina decidiu seguir, revelando que nem a canção, nem a letra, eram de seu agrado. “Às vezes, preciso jogar os braços para o céu e perceber que não sou eu quem vai sair por aí cantando essa música. Ela estava feliz e era isso que importava. Sei que os artistas também têm instintos e deixei seguir o rumo que ela queria”, revelou Linda sobre a faixa.

Seguindo o sucesso da fragrância “Christina Aguilera” no exterior, a Proctor & Gamble lançou nos Estados Unidos um novo perfume em parceria com Christina: “Inspire” chegou nas lojas americanas em setembro exclusivamente pela rede de lojas Macy’s. O comercial foi dirigido pelo amigo David LaChapelle, dos clipes de Dirrty, Can’t Hold Us Down e The Voice Within. O tema da campanha seguia a nova visão de Christina, apresentando cores fortes e cenários moldados como Tóquio. Para promover o perfume, Christina fez sessões de autógrafo e uma coletiva de imprensa.

1. Com Max na rua; 2. Gravando comercial de “Inspire”; 3. No lançamento de “Inspire”

No fim do ano, Inspire vendeu  US$ 80 milhões, sendo US$ 50 mil em um único fim de semana – montante considerado alto. Apesar disso, a fragrância foi descontinuada pela P&G, deixando a desejar com relação à excelente performance da fragrância lançada na Europa.

Em setembro, o lançamento da coletânea de sucessos de Christina foi oficialmente anunciado, e pegou muitos de surpresa. O álbum seria lançado exclusivamente nas lojas da Target, e incluiria duas novas músicas e releituras de “Genie In A Bottle” e “Beautiful”. Christina também estava confirmada em eventos internacionais para promover o trabalho. A nota oficial já revelava o nome da coletânea: “Keeps Gettin’ Better: A Decade Of Hits”, celebrando a evolução do som de Christina nos primeiros dez anos de carreira.

Todo o tema visual e som do álbum foi um adiantamento do que estava planejado para o próximo disco de inéditas: cores fortes, temas futurísticos, super heróis, Tóquio… um mix de inspiração completamente diferente de “Back To Basics”.

No estúdio, Christina experimentava uma viagem ao tempo ao selecionar a tracklist do álbum, e considerou gratificante ver o pequeno Max ouvindo Genie In A Bottle pelos auto-falantes, além de escolher sua faixa favorita da compilação – a nova canção, “Keeps Gettin’ Better”.

Os trabalhos de promoção tiveram início no VMA, onde Christina fez uma performance da nova versão de “Genie In A Bottle” em medley com o primeiro single do disco, “Keeps Gettin’ Better“. A canção foi lançada em 09/09/2008 e estreou na 7ª posição da Billboard. Foi a melhor estreia de Christina na parada, batendo o primeiro single de “Back To Basics”, “Ain’t No Other Man”, que estreou direto em 19º lugar. A performance no Video Music Awards foi seguida de elogios pela alta energia, apesar de recorrer à dublagem (recurso que Christina nunca apoiou), críticas e comparações.

O blogger Perez Hilton lançou a controvérsia ao fazer comparações com a então desconhecida Lady Gaga. Questionada, Christina disse desconhecer Gaga, sem saber se era homem ou mulher. O comentário coincidiu com boatos de que Gaga era transexual, e foi interpretado como desprezo. A polêmica iniciou uma difícil relação de comparações na imprensa quando Gaga explodiu na cena musical, semanas depois.

O clipe do novo single passou por um longo processo de edição. A direção foi confiada a ninguém menos do que Peter Berg, cineasta responsável por megaproduções como o filme Hancock. O vídeo foi inspirado no longa Minority Report, e apesar de não ser muito popular entre os fãs, foi considerado um dos melhores do ano.

A nova sonoridade também foi experimentada em um cover futurista da música “Fallin’ In Love Again (Can’t Help It)”, criada por Christina e Linda. A sensual regravação é longa e foi utilizada exclusivamente nos créditos do filme “The Spirit”, sem fazer parte da trilha sonora.

Nas semanas que seguiram, Christina deu continuidade à promoção do álbum, especificamente no exterior. Fez concertos em Londres e levou a turnê “Back To Basics“, com algumas modificações e inclusão das novas músicas da coletânea de sucessos, até Kiev e Abu Dabhi. O figurino foi alterado e vários equipamentos não foram utilizados, mantendo o palco quase sem recursos. Apesar disso, foi o mais caro e moderno concerto já realizado por lá, reunindo celebridades e políticos do mais alto escalão. A setlist também foi diminuída, mas duas músicas foram adicionadas no final do show: Genie 2.0 e Keeps Gettin’ Better. Nos telões, imagens da sessão fotográfica da coletânea A Decade Of Hits eram exibidas durante as novas músicas. Toda a família viajou para acompanhar Christina na turnê, e Max fazia sua estreia em terras internacionais.

Nos Estados Unidos, gravou participação em um filme de Russel Brand, que seria lançado em 2010. Christina também passou a revelar os planos para o próximo álbum, comentando que experimentaria com sons robóticos e vocais contidos, sem grandes notas ou melismas.

1. Com Max chegando em Londres; 2. Em concerto; 3. Em coletiva de imprensa em Abu Dhabi

Em 07/11/2008, “Keeps Gettin’ Better: A Decade Of Hits” chegava às lojas Target nos Estados Unidos, e no resto do mundo. O álbum foi lançado em versões “Standart” e “Deluxe”, que contava com um DVD bônus com os principais clipes da carreira de Christina. A tracklist variava de acordo com cada país, e assim como “Back  To Basics”, o colorido e ilustrado encarte foi fotografado por Ellen Von Unwerth e era impresso em papel de luxo.

O contrato de exclusividade com a Target limitou um pouco a performance da coletânea nas paradas, uma vez que também não foi vendida em qualquer loja virtual, como o iTunes. Apesar disso, o álbum foi top 10 na Billboard, chegando na 9ª posição na estreia.

A promoção do álbum foi acompanhada de uma performance de abertura no American Music Awards – um medley de 6 das mais bem sucedidas músicas da carreira de Christina – uma contida e aplaudida apresentação na noite de indicações do Grammy Awards e outras performances especiais, como no evento CNN Heroes.

Dando continuidade ao próximo trabalho, os grupos Ladytron e Goldfrapp foram chamados para criar novas músicas, convidados na mesma época que a cantora Sia. Como esses artistas alternativos nunca haviam adentrado no mundo mainstream, Christina não sabia se os convites dariam certo. Jordan teve um longo trabalho para convencê-la a pegar o telefone e conversar com eles pessoalmente, que acabaram aceitando experimentar em estúdio.

O rumo que Christina daria para o álbum era totalmente diferente do que o caminho seguro, posto que brincava com sons, letras e vocais que nunca ficaram em evidência na cultura  popular das massas. Era algo arriscado, mas Christina não se intimidava.

Pelos planos, 2009 seria dela.

Retrospectiva em vídeo
Navegue!